quinta-feira, agosto 12, 2010

Sete Sapatos Sujos”

O escritor moçambicano Mia Couto, também licenciado em Medicina e Biologia, fez uma oração de sapiência, no dia 7 de Março, na abertura do ano lectivo do Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique. Excertos desta oração foram publicados no “Courrier Internacional”  de 2 de Abril. 
Destacamos “Os Sete Sapatos Sujos”:  
Não podemos entrar na modernidade com o actual fardo de preconceitos. À porta da modernidade precisamos de nos descalçar. Eu contei “Sete Sapatos Sujos” que necessitamos  de deixar na soleira da porta dos tempos novos. Haverá muitos. Mas eu tinha que escolher e sete é um número mágico. 
Primeiro Sapato: A ideia de que os culpados são sempre os outros.

Segundo Sapato: A ideia de que  o sucesso não nasce do trabalho.
Terceiro Sapato: O preconceito de que quem critica é um inimigo. 
Quarto Sapato: A ideia de que  mudar as palavras muda a realidade. 
Quinto Sapato: A vergonha de ser pobre e o culto das aparências.
Sexto Sapato: A passividade perante a injustiça. 

Sétimo Sapato: A ideia de que, para sermos modernos, temos que imitar os outros.
via: e.s.p.s.

Tira as sandálias dos pés, pois o lugar que estás é santo...
 DESAPEGO - GLADIR CABRAL

Um comentário:

Descanso da Alma disse...

Gostei muito dos Sapatos sujos, me faz lembrar as peneiras de Sócrates.

E Gladir, nunca é demais, sempre necessário...

Paz e bem