terça-feira, outubro 20, 2009

“Se você é um evangélico, você é um imbecil.”

“Se você é um evangélico, você é um imbecil. E vice-versa.” Foi o que eu ouvi ao ligar a TV, outro dia, na MTV. O rapaz, sob o pretexto de ser engraçado, debochava também da umbanda, demonstrava grande ignorância sobre Síndrome de Tourette e tentava se safar da “homofobia”: “Lésbicas? Magras gosto, gordas não”.

(clique aqui para ver o vídeo na página do programa)
É um quadro de um programa chamado “Fiz na MTV”, em que a emissora apresenta pequenas produções amadoras, escolhidas por votação. Ao final, a clássica mensagem “não nos responsabilizamos pelo conteúdo apresentado…”, mostrada sempre que uma emissora bota um conteúdo independente no ar. O que sinceramente tenho dificuldade de acreditar é que, se ele simplesmente tivesse substituído a palavra “evangélicos” por “judeus” ou “negros”, uma emissora de tanta abrangência como a MTV teria coragem de o colocar no ar em rede nacional. Neste mundo “politicamente correto”, parece que só tem direito a um mínimo de respeito as “minorias” que se organizam, que ameaçam processar quem as desrespeita. Ou, talvez, os grupos que já foram vítimas de episódios historicamente vergonhosos, como a escravidão, o holocausto ou a discriminação sexual. Talvez seja mais fácil sentir pena e combater o preconceito de quem já foi vítima explicitamente, cujo sofrimento já virou consenso. É sempre mais fácil condenar o passado…


Na página do programa, a atração, chamada “Com a Palavra, Ronald Rios”, é descrita como “o quadro mais polêmico da TV brasileira”. É claro, sempre dá audiência falar que lago é “polêmico”. Mas, sinceramente, não sei se algo como isto pode ser considerado polêmico. A polêmica, geralmente, pressupõe um embate de idéias, uma discussão. E ele simplesmente não apresentou um único argumento, lógico ou não, que o embasasse. Só disse que “não gosta de evangélicos”. Qualquer um deles.

E eu, que não sou evangélico, que também não acredito em macumba, e que obviamente não sou lésbica, me sinto indignado e simplesmente embasbacado de ver uma coisa dessas na minha TV que, coitada, só pega alguns poucos canais abertos… Será que vai ser preciso, um dia, todos se enquadrarem em alguma “minoria”, para serem reconhecidos como “dignos” de serem discriminados? Ou será que alguém, enfim, vai reconhecer que o preconceito é uma atitude de não reconhecer a humanidade do outro, e que continuará existindo mesmo quando todos passarem a adotar frases politicamente corretas, no estilo “todas e todos os afro-descendentes de orientação sexual homoerótica são vitimizados, embora as mulheres economicamente desprovidas o sejam de forma majoritária”?
Preconceito não precisa de objeto definido. O preconceituoso é quem define seu objeto. Se lhe tiram um, logo arruma outro.
Pense nisto.
Pitaco da Meire:
Sei que algumas pessoas irão achar que ele tem alguma razão, até porque ele citou o Edir Macedo, outros dirão que não são evangélicos e sim protestantes. Mas queria apenas ressaltar aqui, que não se trata de uma brincadeira boba, mas sim de ofensa.
Quando o Danilo Gentile faz algum tipo de piada com relação aos evangélicos, ele faz com algum acontecimento que esteja na ordem do dia. Isso querido leitor é totalmente diferente de simplismente ofender as pessoas pela sua crença.
Se eu escrever nesse blog que todo negro é idiota, todo homossexual é idiota, sei com toda a certeza, vários processos e retalhações iriam bater, aliás, arrombar a minha porta.

Só pra ilustração, observe o significado da palavra imbecil:
adj. e s.m. e s.f. Falto de inteligência; estúpido, tolo, parvo, Retardado cuja idade mental se situa entre três e sete anos. (Q.I. compreendido entre 20 e 50.) (Sin.: débil mental.)
Sinônimos de imbecil
imbecil: burro, estulto, estúpido, idiota, inepto, lerdaço, néscio, palerma, parvo, pateta e tolo
Se alguém acha justo o uso de adjetivos como esse, para atacar qualquer ser humano, sinto muito, não foi nesses padrões que fui educada e eduquei minha filha.
E por último, volto a escrever que desafio qualquer um desses que estão seguindo a moda de criticar o cristianismo, a ir até Teerã e tentar fazer críticas à Maomé, ao povo islâmico ou à sua cultura.
Não que eu ache isso certo, até porque não foram poucas as contribuições do povo mulçumano para o campo científico. 


12 comentários:

Alberto M. de Oliveira (Betochurch) disse...

Olá irmã Meire, tudo bem?

Estive visitando o seu blog, e achei legal demais. Parabéns!
Passei a segui-lo.
Vou colocar também um link seu na minha lista de favoritos em meu blog.
Qual o seu email?
Gostaria de lhe convidar a visitar o meu: ecclesiareformanda.blogspot.com

Um abraço!
Alberto M de Oliveira

Gabriel Resgala disse...

Oi Meire!

Como você disse, criticar, ainda que seja com humor (mesmo que se faça isso de forma bem “ácida”), é bem diferente de ofender de forma gratuita. E esse cara, apesar de ter citado a Record, não se restringiu a nenhum grupo: fez questão de utilizar a palavra “evangélico”, que hoje é a mais abrangente para denominar diversas denominações cristãs.. E teve a intenção clara de ofender, não fez sequer uma crítica.

Grande abraço! Continuemos em Deus…

Bruno Carvalho disse...

Eu acho a Record uma criança travessa em relação a MTV. Acho que esse canal é do capeta kkkk. Mas é sério. odeio a MTV.

Descanso da Alma disse...

Creio que um dos problemas seria igualar todos os evangélicos numa única panela, igual ao que aconteceu com os índios, pois eles não são índios, são tamoios, ianomamis, marajoaras e assim vai.

Nesse nosso mundo de generalizações, pelo problema de alguns, todos acabam sendo rotulados, caracaturizados, na verdade tenho problemas sérios com o termo evangélico, não gosto, nem me chamo assim, prefiro cristão.

Há muitos problemas de todos os lados, dos evangélicos e dos críticos dos evangélicos, pois se o primeiro grupo (nem todas as correntes) expusesse suas opiniões de forma equilibrada e racional, não teríamos tantos problemas e o segundo vive a ditadura da minoria, não há imparcialidade nos comentários e no fim sai-se de uma intolerância para outra.

No fim é julgar com dois pesos e duas medidas, perde-se a razão. A MTV por querer ser uma emissora cabeça para jovens acaba se tornando uma emissora cabeça oca, por não esclarecer e propagar um equilíbrio no julgamento e no fim, é tão intolerante quanto julga intolerante os evangélicos.

Paz e bem Meire

Descanso da Alma disse...

Pra complementar, o cara na verdade é um otário. Pois ele é preconceituoso com tudo pra se mostrar inteligente, mas não sabe argumentar nada.
Fraquíssimo, um cérebro vazio.

Paz e bem

Raony disse...

EU SOU EVANGEICO E ODEIO A PALAVRA DESSE CARA DEUS, ABENÇOE VOCES!!!111

Gab! disse...

O cara não tá nem aí... Tá mostrando seu post a todos como um troféu.

Camila disse...

ué, do mesmo jeito que ele não gosta de evangélicos, vocês não gostam dele. Cada um com sua opinião, se vocês não tem inteligência suficiente pra entender uma piada ai o problema não é dele né ? ;)

Meire disse...

Meus agradecimentos aos maninhos:
Alberto M. de Oliveira;
Gabriel Resgala que é o autor do post, copiei e colei do blog dele: Visitem, fica a dica;
Bruno Carvalho;
Descanso da Alma - Ter sua presença no meu blog é uma honra -
Raony - Valeu, mas ódio é muito forte, vale a pena não maninho;
Gab, valeu pela informação, pensei nisso antes de postar, mas é preciso mostrar o que é crítica e o que é ofensa;
E por fim Camila: Não vi nehuma piada, ouvi sim um rapaz falando que mulher é VAGABUNDA!
Os evangélicos de IMBECIS, isso não é definitivamente uma piada. ISSO É OFENSA pura e simples.
Não faço questão dele gostar de mim, até porque Jesus já avisou que não teria como ter a amizade do mundo e a de Deus.

Daniel Araujo disse...

Meire, é a primeira vez que visito o seu blog, e acho válido sua argumentação, porém, não devemos esquecer que estamos em um país livre, onde todos tem o direito de expressar a sua opinião, sendo vedado somente o anonimato. Assim, sendo o citado Ronald Rios tem todo o direito de expressar sua opinião a respeito de evangélicos e outros, cabendo as pessoas citadas entrarem com uma ação judicial ou não contra ele. O que não devemos esquecer também é que muitos evangélicos, e me desculpe se aqui estou generalizando, professam palavras de cunho preconceituoso contra homossexuais ou outras religiões. É muito fácil apontar a falha ou o modo de agir do outros, mas precisamos ver se estamos agindo corretamente e de acordo com o que foi pregado por Jesus Cristo, que quando esteve aqui andou com todo tipo de gente e orientou bondosamente a todos.

Meire disse...

Pois é Daniel Araujo, se você visitar mais o meu blog perceberá que faço duras críticas tanto à lideranças e filosofias pseudocristãs, mas que em nada contribuem para o Reino de Paz e Justiça que creio, quanto à liderados que não pensam sozinhos.
Sou evangélica - crente - protestante. Sendo que essa última palavra cabe melhor; vivo a prostestar contra todo e qualquer tipo de violência.
Um exemplo? Achei triste a frase "Jesus andou com todo tipo de gente", cara isso não existe, exite apenas UM tipo de gente que cometem todo tipo de pecado.
E se estamos em uma democracia, tenho também que lutar pelo meu direito de não achar graça em ofensa.
Faça um tour pelo blog, veja como trato até com uma pitada de ironia alguns líderes apostólicos, bispos e afins.
Vc também está generalizando e isso é resultado da falta de uma reflexão mais apurada.

Anônimo disse...

Em nome do bom senso: Como devo qualificar um ser inteligente, e inteligente aqui não é sinônimo de culto, mas sim o contrário de irracional.Pois bem, como qualificar uma pessoa que acredita que o todo-poderoso bateu boca com um reles ser mortal usando outro ser mortal como leva-e-traz, como um fofoqueiro para levar ameaças a um povo que aprisionava o SEU povo, Ah!Sim, os outros não faziam parte de sua criação.Após jogar sete pragas –as outras seis anteriores não o haviam intimidado: água transformada em sangue, colheitas destruídas, pestes e por aí vai, não foram suficiente para convencê-lo de que ele estava brigando com o Criador (patético!).E então o onisciente, o onipresente, entra na cidade assassinando crianças indefesas das casas que não continham um sinal.Até parece grupo de controle das bocas de drogas dos dias atuais apavorando o morro.Qual adjetivo devemos usar para essas pessoas?