terça-feira, janeiro 26, 2010

Doutrina Judaizante anula a Graça


Logo que comecei a frequentar uma igreja evangélica em Porto Alegre, auto-denominada Igreja local do Senhor Jesus, aconteceu uma festa de aniversário em homenagem a uma irmã. Foi num sábado, dia que um amigo meu de Caxias do Sul passeava pela capital. Aproveitei a sua presença e o convidei para ir junto.

A única coisa que consigo lembrar daquele dia é que meu amigo, que não é evangélico, veio me perguntar porquê os carros do pessoal da igreja carregavam adesivos da bandeira do estado de Israel. Naquela época nem eu sabia, mas algum tempo depois vim a descobrir a tremenda idolatria por Israel que existe no meio evangélico.

Se o leitor da Bíblia não fizer a devida distinção entre os tempos e eras, inevitavelmente fará confusão entre a lei e a graça e entre Israel e a igreja. Coisa mais comum é ver pregações tratando a lei e a graça de igual forma e Israel como sendo a igreja dos tempos antigos.

Esta conjunção é impossível! Ou se vive pela graça ou pela lei. Não há meio-termo!

Paulo passou boa parte da sua vida defendendo a liberdade da graça contra as aprisionantes doutrinas judaizantes que alguns queriam implantar na igreja. Sua carta mais severa, a de Gálatas, trata justamente desde assunto.

Caso a Igreja Local já chegou à sua cidade, provavelmente ela está dividida em doze tribos e seu bairro foi incluído em uma delas. Talvez sua casa esteja construída no território da tribo de Judá ou José e você nem sabe. Pois tal região tem um líder que é o responsável pelo crescimento desta tribo na sua cidade. De onde tiraram isso? De Deuteronômio!

Tem mais. Sua cidade também está dividida em quatro exércitos: leão, homem, boi e águia. Cada exército tem uma função especifica na obra. Tudo registrado em Ezequiel, primeiro capitulo. O objetivo disso tudo é organizar a expansão da obra, que neste caso é a expansão territorial da igreja nas cidades.

Cabe ressaltar que no novo testamento não se vê nada parecido. Em nenhum momento vemos Paulo, Pedro ou João dividindo a cidade em tribos e exércitos. Segundo este pessoal, Jesus hoje está trazendo uma nova revelação, nunca antes revelada na história da humanidade. Explicação tipica de seita exclusivista.

E quem cria tais doutrinas? Um homem, batizado de apóstolo, que seria, segundo eles, o homem pelo qual Deus usaria para liberar o rio da vida nos dias de hoje. Eles creem que Deus usa somente um homem por vez na terra para liberar suas novidades. Seria um Moisés dos dias modernos.

O problema disso é que psicologicamente cria-se um novo intermediário entre Deus e os homens, e não é Jesus, mas sim o apostolo que recebe as news. Passa-se novamente a depender de homens, justamente o que Jesus veio acabar. É por este motivo que muitos irmãos ao invés de apegar-se a Jesus, apegam-se à igreja.

Romanos 2:29 Mas é judeu aquele que o é interiormente, e circuncisão é a do coração, no espírito, e não na letra; cujo louvor não provém dos homens, mas de Deus.

A lei a os profetas são a maior fonte de inspiração para estas igrejas que adotam uma postura judaizante nas suas rotinas. Ao invés de usar o antigo testamento como referencia para entender Jesus e a sua graça, faz-se a analogia de que Israel do passado é a igreja hoje e assim o que valia para Israel, passa a valer para a igreja. Não é a toa que o sonho de quase todo crente é conhecer Israel, tanto que adotam uma personalidade totalmente judaica. Não interiormente, como Paulo dizia, porém cheio de exterioridades.

Gálatas 4:3-5 Assim também nós, quando éramos meninos, estávamos reduzidos à servidão debaixo dos rudimentos do mundo; mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo de lei, para resgatar os que estavam debaixo de lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.

A lei é para os meninos, para as crianças. Todas as manifestações estereotipas do antigo testamento são apenas sombras do que viria: Jesus. Quando Cristo veio, todos aqueles tipos e figuras perderam o sentido de valor prático, pois cumpriram o seu propósito de nos fazer reconhecer a Verdade encarnada. Como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir?

Não é a toa que nestas igrejas, a palavra graça é praticamente um palavrão Não faz muito tempo, um irmão se dirigiu a mim aqui no site dizendo que era uma pena que agora eu estava na graça. Veja o tipo de entendimento da palavra que esta doutrina gera: faz os irmãos desprezarem a graça para idolatrar a lei. Para eles, quem vive pela graça é vagabundo e não quer se negar. Para eles, quem vive pela graça, não realiza a obra de Deus. Sim, eles acham que o negar a si mesmo, a qual Jesus se referiu, é inversamente proporcional à graça. Para eles, a graça não basta.

O resultado de tudo isso é ver que o que Paulo falou em Gálatas se cumpre: os irmãos permanecem como crianças, com discursos ingênuos, imaturos e na dependência dos líderes Não querem assumir a responsabilidade da liberdade.

Por estes, será novamente necessário sofrer as dores de parto. Para a liberdade que Cristo nos libertou. Permanecemos, pois na liberdade e não nos deixemos novamente estar sob jugo de servidão Aquele que se deixar levar pelas doutrinas judaizantes da lei, de nada lhes aproveitará.

2 comentários:

Gilson disse...

Em Mateus 11:14-19 Jesus fala a respeito disso, utilizando como pano de fundo a pratica "farisaica" do jejum, que no entendimento tacanha da classe de hereticos daquele tempo se dava no exterior de nada importando o interior ou o socorro ao proximo coforme Is.58 e Zc.7. Jesus diz textualmente que não se pode colocar remendo novo em vestido velho e nem vinho novo em odres velhos. O que estuda e medita nas Escrituras compreende todo o resto.

Coração Missionário disse...

Amado eu concordo plenamente com esse texto,foi pago um preço "gigante"pela graça,para que hoje desrutassemos dela e de tudo que jesus fez por nós na cruz.
Infelismente o Homem "natural"precisa de bengalas e coisas visíveis para se segurar na prática "religiosa" para mim esse é não o evangelho pregado por Cristo.ELe diz em galátas que se alguém pregar um outro evangelho que seja anátema.Sò a graça mesmo!
Fica na paz e Deus seja louvado por sua MARAVILHOSA graça.